Blog

Como estimular e manter a memória ativa? SalutemPlus

Como estimular e manter a memória ativa?

Data de publicação: 31/07/2018 00:00:00
Categoria: Curiosiodades
  • Compartilhar:

A memória é a capacidade do cérebro de armazenar informações e acessá-las quando necessárias. Ela guarda lembranças, conhecimentos, e ajuda a organizar a vida e os relacionamentos. Com o passar dos anos, a memória começa a enfraquecer e é necessário buscar formas de mantê-la ativa.


Como melhorar a memória?
Para melhorar a qualidade da memória e mantê-la intelectualmente ativa, é necessário estimular o cérebro a criar novas conexões.

1- Exercite o cérebro 
Aprender coisas novas é uma boa maneira de treinar o cérebro. Fazer aulas de dança, estudar instrumentos musicais e línguas, ou praticar jogos como Sudoku pode ajudar a melhorar a capacidade de memorização. Além disso, a repetição durante o processo de aprendizado ajuda o cérebro a reter informações.

Esforçar-se para recordar de informações como caminhos, nomes e datas sem consultar a internet, por exemplo, contribui para a qualidade da memória, já que o cérebro se beneficia de informações organizadas e de desafios diários.

2- Melhore a qualidade de vida
As atividades físicas melhoram a distribuição de oxigênio e nutrientes pelo corpo, e por isso contribuem para o funcionamento do cérebro. É importante evitar o estresse, socializar com mais frequência, e adotar práticas como a meditação e o yoga.

Outra aliada da memória é a alimentação. Enquanto açúcares e carboidratos podem contribuir negativamente para o processo de retenção e acesso à informações no cérebro, alimentos como café, brócolis, açafrão, chocolate amargo, ovos, laranja e peixe contém substâncias que colaboram com a concentração, ajudam na conservação do cérebro e na renovação de células cerebrais, além de fornecerem vitaminas importantes para a memória.

3- Descanse
O descanso noturno adequado ajuda o cérebro a organizar e armazenar informações, por isso é recomendado dormir e acordar nos mesmos horários e estabelecer uma rotina de sono consistente.

O que pode causar a perda de memória?
Além do envelhecimento e algumas doenças, outros fatores podem levar à perda da memória. Carência da vitamina B12, falta de sono adequado, traumas emocionais e doenças como a depressão podem ser causas para o esquecimento.

O uso de medicamentos e outras substâncias, como o álcool, o tabaco e outras drogas também pode comprometer a capacidade de armazenar informações. Ferimentos e pancadas na cabeça, tratamentos contra o câncer, e problemas na tireoide também podem ocasionar a perda de memória.

Por isso, é importante estar atento aos lapsos de memória e de que forma eles aparecem. Anotar os detalhes e momentos de esquecimento é uma forma de facilitar o diagnóstico médico para a causa do problema.

Que doenças afetam a memória?
A depressão, o transtorno bipolar e a esquizofrenia são alguns exemplos de doenças que podem causar danos à memória. Além dessas enfermidades, existem duas outras doenças que causam a perda progressiva da memória: a demência e o Alzheimer.

A demência, que pode ser causada pelo Alzheimer, apresenta outros sintomas junto ao esquecimento, como mudanças bruscas de humor e alterações drásticas no comportamento, chegando a interferir na capacidade de julgamento, no uso da linguagem e na capacidade de compreensão.

Em geral, o Alzheimer é uma doença que afeta pessoas acima dos 65 anos de idade, e se desenvolve de maneira gradual e rápida, levando à desorientação e confusão. Pacientes que sofrem da doença costumam manter memórias antigas, mas esquecer-se com facilidade de eventos recentes.

Caso esteja enfrentando dificuldades em seu dia a dia com o esquecimento, procure ajuda médica para avaliar as causas e a gravidade da perda de memória.

Fontes

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim