Blog

Fadiga Crônica: saiba o que é e como ela afeta a sua saúde SalutemPlus

Fadiga Crônica: saiba o que é e como ela afeta a sua saúde

Data de publicação: 05/07/2018 09:48:00
Categoria: Doenças
  • Compartilhar:

Cansaço extremo, sem sono que recupere as forças físicas e mentais, essa é uma definição simplificada do que enfrentam os pacientes da Síndrome da Fadiga Crônica (SFC), doença que até então não tem causas definidas.

As pesquisas científicas sobre a enfermidade investigam uma soma de fatores que podem causá-la, incluindo infecções virais, desequilíbrios hormonais, problemas imunológicos e até mesmo estresse psicológico.

Quem tem mais riscos de desenvolver a doença?
A Síndrome de Fadiga Crônica é mais comum em pessoas entre os 40 e os 50 anos, do sexo feminino. Além disso, aqueles que têm uma rotina sobrecarregada, com problemas no trabalho ou no âmbito pessoal estão mais vulneráveis à SFC.

A Síndrome da Fadiga Crônica pode se desenvolver a partir de uma gripe ou uma crise de sinusite, por exemplo, e mesmo depois do tratamento dessas doenças, a SFC permanece como uma fadiga constante. Quando o cansaço e outros sintomas, como a dor de garganta, persistem por meses sem nenhuma causa, é importante buscar ajuda médica.

Quais são os sintomas de SFC?
Pacientes que sofrem com a Síndrome da Fadiga Crônica apresentam outros sintomas, além da fadiga. A doença causa outros problemas, como perda de memória, inflamação na garganta, dores musculares e nas articulações, inchaço nos gânglios linfáticos (no pescoço e nas axilas), dores de cabeça, problemas do sono e exaustão por mais de 24h depois da realização de atividades físicas ou mentais.

Como essa doença é diagnosticada?
A Síndrome da Fadiga Crônica não é uma doença de fácil diagnóstico, sobretudo porque a fadiga pode indicar outros problemas de saúde, como os cardíacos, os pulmonares, os endócrinos, os neurológicos, as doenças autoimunes, e tantos outros. Além disso, é comum atribuir o sintoma à rotina cansativa, à falta de exercícios físicos ou de alimentação adequada.

Não há um exame específico que possa detectar a Síndrome da Fadiga Crônica. Após a realização de testes que descartam outros tipos de doença, é a presença dos outros sintomas da enfermidade, por pelo menos seis meses, que levam ao diagnóstico médico.

É importante que o paciente sempre busque ajuda médica, para que possa receber um diagnóstico correto e a indicação do melhor tipo de tratamento para a doença.

Como a Síndrome da Fadiga Crônica é tratada?
Em geral, os tratamentos indicados pelos profissionais da saúde são uma combinação de medicamentos e terapia. É comum que os sintomas sejam tratados, para que os impactos da doença sejam menores. Já o acompanhamento psicológico é indicado porque é possível que a SFC leve a quadros de depressão, ansiedade e estresse.

Não há cura conhecida para a Síndrome da Fadiga Crônica, sendo que alguns pacientes podem se recuperar da enfermidade entre seis meses e um ano de tratamento, e outros podem ter que lidar com os sintomas pelo resto da vida.

Fontes

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim