Blog

Endometriose: como identificar a doença que aterroriza as mulheres SalutemPlus

Endometriose: como identificar a doença que aterroriza as mulheres

Data de publicação: 24/04/2018 17:52:00
Categoria: Doenças
  • Compartilhar:

A endometriose é uma doença que afeta quase 180 milhões de mulheres no mundo, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde. Cólicas menstruais insuportáveis ou fora do período menstrual, e dores durante as relações sexuais são algumas características da enfermidade enfrentada por uma a cada dez brasileiras.

O que causa a endometriose?
No útero, o endométrio é um tecido que se desenvolve como uma forma de preparação para a gravidez. É nele que o embrião se aloja depois da fecundação e é a partir dele que se forma a placenta. Quando não há gravidez, o endométrio se descama e é expelido na menstruação.

A endometriose ocorre quando o endométrio, que tem o crescimento estimulado por hormônios, passa a se desenvolver fora do útero, em áreas como ovários, trompas, intestino, entre outros.

Entre os fatores que podem levar ao desenvolvimento da doença estão a tendência familiar e genética, os fatores imunológicos, a produção excessiva de hormônios e uma qualidade de vida ruim. Ciclos menstruais irregulares e cirurgias abdominais também pode estar entre os fatores de risco.

Quais são os sintomas da endometriose?
Dores fortes no baixo ventre, antes e depois da menstruação, cólicas incapacitantes, sangramento menstrual intenso, dor durante o sexo, dores na região lombar e infertilidade são os sintomas mais conhecidos pelas mulheres que enfrentam a endometriose.

Como é tratada a doença?
Apesar de não ter cura, a endometriose pode ter seus sintomas controlados. Existem medicamentos e cirurgias capazes de minimizar os transtornos da doença e, o mais importante é fazer um acompanhamento ginecológico regular, para que o médico seja capaz de diagnosticar corretamente a condição e conduzir o tratamento de forma eficaz.

Medicamentos para dor, terapias hormonais e cirurgias são algumas alternativas utilizadas no combate à endometriose. Em casos extremamente graves, a última solução pode ser a retirada do útero, em uma cirurgia chamada histerectomia.

É possível prevenir a endometriose?
Reduzir a quantidade de estrogênio no organismo e manter os níveis hormonais equilibrados é uma forma de prevenir a endometriose, já que são os hormônios que controlam a espessura do endométrio. Para isso, podem ser utilizadas algumas estratégias como exercitar-se regularmente, consumir menos alimentos processados, ingerir menos álcool e cafeína.

A alimentação é peça chave na prevenção da endometriose. É saudável dar preferência aos alimentos ricos em gorduras Omega-3, frutas, legumes e cereais integrais; assim como reduzir o consumo de alimentos que contenham gorduras trans e carne vermelha.

Além disso, é fundamental manter visitas regulares ao ginecologista, assim como explicar a ele detalhadamente sobre os sintomas enfrentados.

Fontes:

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim