Blog

Lúpus – doença incurável e dolorosa que atinge mais de 60 mil brasileiros Ligado na Saúde

Lúpus —ainda uma doença subdiagnosticada

Data de publicação: 15/02/2018 11:03:00
Categoria: Doenças
  • Compartilhar:

O lúpus é uma doença inflamatória crônica que pode afetar diferentes partes do corpo. Assim como outras doenças autoimunes, o lúpus ocorre quando o sistema imunológico apresenta mal funcionamento. Nessa doença, o organismo produz uma quantidade muito maior de anticorpos, criando desequilíbrio ao sistema imunológico e colaborando com ataques a tecidos e órgãos.

A doença pode causar danos à pele, articulações, rins, pulmões, células sanguíneas, coração e cérebro. É também uma enfermidade conhecida como o "excelente imitador" pois os sintomas do lúpus geralmente se assemelham aos de outras doenças.


Os sintomas em ação

As pessoas com lúpus podem sofrer com períodos mais críticos quando os sintomas da doença surgem, mas também passar por intervalos estáveis, chamados de períodos de remissão, quando os sintomas da doença estão sob controle.

Quando o lúpus está na fase crítica, sintomas como exaustão, perda de peso, febre e anemia costumam ocorrer. Ataques e remissões da doença podem acontecer a qualquer momento, sem aviso prévio.

Não há cura para o lúpus, mas os tratamentos podem reduzir a gravidade dos sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.


Conheça os tipos de lúpos

• O lúpus eritematoso sistêmico é a forma mais comum de lúpus;

• O lúpus eritematoso discórdico causa uma erupção cutânea que não desaparece;

• O lúpus eritematoso cutâneo subagudo causa feridas cutâneas nas áreas do corpo expostas ao sol;

• O lúpus neonatal afeta os recém-nascidos;

• O lúpus induzido por drogas pode ser causado por certos medicamentos.


Quais são os índices de ocorrências?

Segundo a Lupus Foundation of America, no mundo, mais de 5 milhões de pessoas convivem com o lúpus. Só no Brasil, estima-se que aproximadamente 65 mil indivíduos enfrentam a doença.

Alguns especialistas acreditam que a doença está subdiagnosticada*, indicando que podem existir muito mais casos de lúpus do que se tem registrado.


Causa e fatores de risco

Os pesquisadores não sabem exatamente o que causa o lúpus (ou várias outras doenças autoimunes). Por algum motivo, o sistema imunológico ataca equivocadamente os próprios tecidos do corpo. A maioria dos especialistas acredita que os fatores genéticos e ambientais também desempenham um papel no desenvolvimento da doença.

• As pesquisas sugerem que a doença pode ser desencadeada por fatores como infecções, drogas ou luz solar. Nesse contexto, vale lembrar —o lúpus não é uma doença contagiosa.

• Mulheres são mais suscetíveis ao risco de desenvolver lúpus. A doença atinge 10 vezes mais às mulheres do que em homens.

• A maioria das pessoas que são diagnosticadas com lúpus estão na faixa etária entre 15 e 40 anos, mas, crianças e idosos também podem desenvolver a doença.


Complicações ocasionadas pelo lúpus

O lúpus pode causar danos a diversas partes do corpo, levando potencialmente as seguintes complicações:

• Falência renal;
• Problemas de sangue, como anemia (baixo número de glóbulos vermelhos), sangramento ou coagulação;
Pressão alta;
• Vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos);
• Problemas de memória;
• Mudanças de comportamento ou alucinações;
• Convulsões;
• Acidente vascular encefálico;
• Doença cardíaca ou ataque cardíaco;
• Condições pulmonares, como pleuresia (inflamação do revestimento da cavidade torácica) ou pneumonia;
• Infecções;
Câncer;
• Necrose avascular (morte de tecido ósseo devido à falta de suprimento de sangue).


Lúpus e o câncer

O lúpus não é uma forma de câncer, mas ter a doença pode aumentar os riscos de uma pessoa desenvolver certos tipos de câncer. Por outro lado, os pesquisadores não conseguem afirmar com exatidão a relação entre as duas doenças.

O que é possível afirmar, é que os tratamentos para lúpus e câncer as vezes se sobrepõem, pois, as terapias para lúpus podem incluir medicamentos que também são usados contra o câncer, como por exemplo as drogas quimioterápicas.



*Falar que uma doença foi subdiagnosticada significa que não foi suficientemente identificada, explicada, dela houve apenas uma avaliação aproximada, podendo existir sugestões de tratamentos.

 

Tradução e redação: Gabriel Pinho 
Revisão: Paula Ávila