Blog

Câncer de Útero – Uma grave doença que atinge às mulheres Ligado na Saúde

Câncer de Útero – Uma grave doença que atinge as mulheres

Data de publicação: 08/02/2018 10:19:00
Categoria: Doenças
  • Compartilhar:

O que é?

É um tumor canceroso que surge no útero, o órgão feminino em forma de pera também conhecido como ventre. A doença geralmente atinge o revestimento do útero (endométrio), mas também pode afetar os músculos da região. Mais de 15 mil novos casos da doença surgem no Brasil a cada ano, afetando principalmente as mulheres que já passaram pela menopausa.

Fatores genéticos

Os fatores genéticos podem desempenhar um papel importante na probabilidade de uma mulher ter um câncer uterino. Por exemplo, a síndrome de Lynch é um transtorno genético que aumenta as chances de obtenção de certos tipos de câncer, e as mulheres com esta síndrome têm uma chance muito maior de contrair o câncer de útero. Isso significa que, nesses casos, paciente e médico devem ficar atentos e observar com uma frequência maior o surgimento de possíveis sintomas do câncer.

Os primeiros sinais

Se você não passou pela menopausa e tem corrimentos vaginais - secreções vermelhas, rosas ou brancas – fora do período menstrual, consulte o seu médico. O mesmo vale para quem passou pela menopausa e apresenta esse mesmo sintoma. Esse sangramento pode ser um sinal de câncer de útero ou de alguma outra doença ginecológica. Procure o seu médico e se informe sobre o que pode estar acontecendo.

Outros sintomas

Procure seu médico em caso de:
  • Dores na região da pélvis
  • Perda de peso sem um motivo aparente
  • Dores durante as relações sexuais
  • Dores ao urinar

Lembre-se: quanto antes você descobrir a existência de um câncer, maiores as suas chances de tratá-lo. Por isso não hesite em procurar um médico o quanto antes caso perceba algum destes sintomas.

Como é feito o diagnóstico

Os médicos costumam fazer um ultrassom para checar o útero e eles também podem verificar o interior do canal vaginal utilizando os equipamentos médicos adequados. Porém, uma biópsia é a melhor maneira de se diagnosticar um câncer. Nesta biópsia, uma pequena quantidade de tecido do revestimento uterino é colhida e enviada para análise. O resultado deste procedimento costuma ser mais preciso em afirmar a existência de um câncer.

O câncer se espalhou pelo corpo?

Se você for diagnosticada com o câncer de útero, seu médico realizará exames adicionais para verificar se a doença se alastrou para órgãos próximos, como o colo do útero ou para os gânglios linfáticos (pequenas glândulas localizadas no pescoço, axilas e virilha). Os exames são:
  • Ultrassom
  • Ressonância magnética
  • Tomografia computadorizada


Procedimento cirúrgico

Seu médico provavelmente recomendará a retirada do seu útero. Em algumas das vezes, esse procedimento pode ser feito com apenas alguns pequenos cortes em seu abdômen (o útero é então retirado através de sua vagina). Esta cirurgia é chamada de histerectomia, procedimento onde ovários e trompas de Falópio também podem ser removidos. Caso a doença tenha se espalhado para outras partes, o médico também pode vir a retirar os linfonodos mais próximos.

Quimioterapia e radioterapia

Mesmo depois do procedimento cirúrgico, os pacientes geralmente são encaminhados para realizar tratamentos quimioterápicos e radioterápicos. Esses tratamentos são feitos na tentativa de eliminar as células cancerígenas que ainda possam estar no corpo da paciente.

Terapia hormonal

O estrogênio e outros hormônios podem fazer o câncer de útero crescer ou se espalhar mais rapidamente. Novos medicamentos como progestágenos, tamoxifeno, agonistas de LHRH e inibidores da aromatase bloqueiam esses hormônios diminuindo o crescimento do tumor. Os efeitos colaterais destes tratamentos podem causar efeitos similares aos da menopausa, incluindo ondas de calor, ganho de peso ou ressecamento vaginal.

Outras terapias

Alguns medicamentos mais recentes usam as próprias células da paciente contra o tumor. Os anticorpos são imunoglobinas produzidas pelo corpo para eliminar os organismos que provocam as doenças. Na terapia direcionada, anticorpos específicos são inseridos no sangue da paciente para encontrar e destruir as células cancerígenas. Esses anticorpos específicos também podem levar pequenas porções de radiação diretamente ao tumor da paciente, aumentando a eficácia do tratamento.

Vida sexual

Os efeitos colaterais do tratamento contra o câncer de útero podem provocar mudanças na vida sexual da paciente. O ressecamento vaginal ou mudanças de humor provocadas pela terapia hormonal, ocasionalmente tornam o sexo doloroso ou reduzem o desejo sexual. A cirurgia de remoção do útero pode gerar os mesmos problemas. Contudo, lubrificantes podem ajudar no caso do ressecamento vaginal, e algumas mulheres dizem que suas vidas sexuais melhoram após a cirurgia, pois sentem menos as dores provocadas pelo câncer.

Gravidez

A cirurgia para a remoção do útero, os tratamentos hormonais e as terapias radioativas podem afetar a fertilidade da mulher. Caso a paciente sinta o desejo de ser mãe, é importante se orientar com um médico sobre as possibilidades. O congelamento e armazenamento de óvulos pode ser uma boa opção nesses casos.

É possível prevenir a doença?

O primeiro passo para uma boa prevenção é manter consultas frequentes com o ginecologista, para que este possa detectar qualquer sinal da doença o quanto antes. Idade, genes e história familiar podem aumentar as chances de uma mulher desenvolver o câncer de útero, mas, é possível tomar algumas precauções que podem fazer a diferença, como se manter em um peso saudável e fazer exercícios físicos regularmente.

Tradução e redação: Gabriel Pinho
Revisão: Paula Ávila e Geraldo Majella

Fonte: WebMD

Lúpus – doença incurável e dolorosa que atinge mais de 60 mil brasileiros

O lúpus é uma doença incurável que pode afetar diversas partes e sistemas do corpo. Entenda como...

Lúpus – doença incurável e dolorosa que atinge mais de 60 mil brasileiros

Febre Amarela- o surto da doença no Brasil

O Brasil vive hoje um surto de Febre Amarela que tem assustado à população. Saiba mais sobre a do...

Febre Amarela- o surto da doença no Brasil

Colite ulcerativa: 5 dicas para ajudar quem sofre com essa doença

Colite ulcerosa - é preciso estar atento a evolução da doença e seus sintomas. Conheça a doenç...

Colite ulcerativa: 5 dicas para ajudar quem sofre com essa doença

Fibromialgia – o sofrimento de quem luta com uma dor “invisível”

Conheça os principais desafios de quem sofre com a Fibromialgia, os sintomas e possíveis causas de...

Fibromialgia – o sofrimento de quem luta com uma dor “invisível”

5 Dicas para controlar sua pressão arterial

Pequenas mudanças na dieta e hábitos diários podem auxiliar na redução da pressão arterial. Co...

5 Dicas para controlar sua pressão arterial

Alzheimer —Implacável e, por hora incurável

Alzheimer, doença incurável que atinge mais de 1,2 milhões de pessoas no Brasil. Conheça mais so...

Alzheimer —Implacável e, por hora incurável