Blog

Você é viciado em cafeína? Ligado na Saúde

Você é viciado em cafeína?

Data de publicação: 30/01/2018 00:00:00
Categoria: Alimentação e Nutrição
  • Compartilhar:

O vício da cafeína —Saiba como identificar


Você toma uma xícara de café para “acordar” assim que levanta e outra logo ao chegar no trabalho?  

Então pode ser que você esteja alimentando o vício em cafeína. E uma vez viciado, sair dele pode ser extremamente difícil.

A cafeína é a droga social com maior poder de alterar o humor em todo o mundo. É um estimulante suave que atua sobre o sistema nervoso central. Basta perguntar a qualquer amante de um bom café - a cafeína pode deixa-lo mais alerta, dar-lhe um impulso energético e mantê-lo acordado quando for preciso.

A cafeína pode ser encontrada em vários tipos de produtos como o chá, refrigerantes, bebidas energéticas e alguns medicamentos de venda livre, mas o café é a principal fonte de cafeína entre os adultos. Segundo o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos – NIH, três xícaras de café por dia são consideradas um consumo moderado e não prejudicarão sua saúde. Entretanto, o uso excessivo de cafeína - mais de 10 xícaras de café por dia - pode gerar efeitos colaterais como tremores, ansiedade, insônia e um quadro de fadiga extrema uma vez que o efeito da cafeína começa a desaparecer.


Sintomas da abstinência de cafeína

Confusão, esquecimento, falta de foco e dor de cabeça são sintomas que algumas pessoas sentem se não tomarem sua quantidade habitual de café ou outra bebida cafeinada. Segundo estudo recente, isso pode ser sinal de um transtorno de abstinência de cafeína.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina Johns Hopkins, da Universidade de Baltimore nos Estados Unidos, revisaram 66 estudos experimentais e pesquisas sobre a abstinência de cafeína. Eles identificaram os seguintes sintomas mais comuns:

• Dor de cabeça;
• Fadiga e sonolência;
• Depressão e irritação;
• Dificuldade de concentração;
• Alguns sintomas similares aos da gripe, como náuseas, vômitos e dores musculares.

Tipicamente, os sintomas começaram entre 12 e 24 horas após a pausa da ingestão de cafeína e atingiram seu pico dentro de um ou dois dias. Alguns indivíduos relataram sintomas tão agressivos que chegavam ao ponto de não conseguir trabalhar. De modo geral na pesquisa, os consumidores mais assíduos de cafeína relataram os piores sintomas, mas mesmo as pessoas que deixaram de consumir 100 miligramas, ou uma xícara de café, apresentaram sintomas de abstinência.


A tolerância à cafeína está em ascensão

O PhD Daniel Evatt pesquisador do departamento de psiquiatria da universidade Johns Hopkins, diz que as pessoas podem parar de sentir os efeitos da cafeína ou tornar-se tolerantes, elevando assim à necessidade de aumentar o consumo de cafeína para se sentir alerta. Mas o Dr. Evatt também aponta que a maioria das pessoas encontra um nível de consumo “confortável” e se mantem nesse nível. "Geralmente, as pessoas não elevam o consumo de cafeína com o passar do tempo, e nem todos os usuários de cafeína desenvolvem tolerância". No entanto, doses elevadas de cafeína (mais de 7, 5 xicaras ao longo de todos os dias) podem acarretar em uma tolerância completa da cafeína.

Os sinais de alerta da dependência de cafeína

Experimentar sintomas de abstinência e tolerância são sinais de que você pode estar se tornando fisicamente dependente da cafeína, diz Evatt. Ele também observa que, se você estiver passando pelos sinais e sintomas abaixo, você pode ter desenvolvido alguma espécie de vício pela cafeína:

• Insônia, dores de cabeça frequentes ou dificuldade em se concentrar;
• Continuar consumindo cafeína, mesmo tendo sido orientado por um profissional de saúde a parar;
• Ter dificuldades para reduzir ou parar, mesmo que você queira.

O Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais americano não reconhece o vício em cafeína como um transtorno mental, mas a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas de Saúde Relacionados (CID-10) da Organização Mundial de Saúde reconhece o vício em cafeína como um transtorno.


Evitando o hábito de consumir cafeína

O Dr. Evatt faz parte de uma equipe da Johns Hopkins que trabalha em um programa de tratamento para a dependência em cafeína.

Se você quiser cessar o consumo, "eu primeiro recomendaria tomar consciência da quantidade de cafeína que você está ingerindo diariamente", diz Evatt, e acrescenta, que muitas pessoas subestimam o poder da cafeína no corpo humano. Ele aconselha às pessoas a evitarem parar com a cafeína de uma vez. "As dores de cabeça da abstinência podem durar dias em alguns indivíduos", diz ele. Em vez disso, reduza lentamente as quantidades de cafeína para diminuir os sintomas da abstinência.

A Academia de Nutrição e Dietética dos Estados Unidos sugere as seguintes dicas para reduzir o consumo de cafeína:

• Misture café descafeinado com café normal;
• Passe a beber seu café com leite utilizando uma quantidade maior de leite;
• Reduza o tempo de infusão do seu chá;
• Procure beber refrigerantes sem cafeína.

Se essas medidas não funcionarem, pode ser que você esteja com algum tipo de vício mais grave em cafeína. Se este for o seu caso, procure um especialista e busque orientações para um tratamento adequado.

Tradução e redação: Gabriel Pinho
Revisão: Paula Ávila