7 inovações tecnológicas que transformarão a área da saúde em 2018 Ligado na Saúde

7 inovações tecnológicas que transformarão a área da saúde em 2018

Data de publicação: 19/01/2018 12:24:00
Categoria: A Era da Tecnologia

A cada dia, novas invenções, ideias, e soluções são apresentadas para atender os diversos tipos de problemas que surgem de forma crescente e acelerada. As pessoas em si, estão em constante mudança. Sendo assim, quem não consegue acompanhar o ritmo acelerado da evolução tecnológica, acaba ficando para trás. É o que acontece também na área da saúde.

As novas tecnologias aumentam as possibilidades e melhoram as condições para médicos e pesquisadores realizarem seu trabalho. Os benefícios são inúmeros para todos os envolvidos, de um lado os profissionais, que se mantem atualizados e cada vez mais capacitados para ofertar o melhor tratamento a seus pacientes, do outro os pacientes, que se beneficiam com novos tratamentos, equipamentos eletrônicos, medicamentos e soluções que facilitam o acesso e acompanhamento do seu histórico clínico, como o Portal do Paciente oferecido pelo salutem+.

        


Confira o que esperar em termos de novas tecnologias no campo da medicina em 2018.

1- Inaladores inteligentes 
Os corticosteroides e bronco dilatadores inalados fazem parte dos principais tratamentos para a asma. O primeiro medicamento ajuda a controlar a inflamação, enquanto o segundo fornece alívio imediato quando os sintomas se agravam. 

Esses tratamentos são eficazes em 90% dos casos quando são prescritos corretamente e quando são executados de forma correta pelos pacientes. Por outro lado, estudos mostram que cerca de 50% dos pacientes com asma não controlam corretamente suas medicações.

Foi pensando nesta falta de controle dos pacientes em realizar o tratamento de asma, que surgiram os inaladores inteligentes com conexão via bluetooth. Dispositivos foram projetados para detectar o uso do inalador, lembrar os pacientes de usarem seus medicamentos, incentivar o uso adequado do inalador e coletar dados à medida que o mesmo for utilizado. A cada utilização, ele registra a data, hora, local e se a dose que foi administrada está correta.

2- Portal do Paciente na nuvem
Inovação no acompanhamento clínico do paciente. A integração de dados clínicos do paciente salvos em nuvem e protegidos por segurança criptográfica.

Tecnologia que facilita o acesso e o compartilhamento de informações disponíveis entre o grupo de profissionais de saúde que zelam pelo mesmo paciente. Isso permitirá ao profissional uma visão sistêmica do histórico clinico de seu paciente, possibilitando um tratamento mais individualizado para ao mesmo.

3- Treinamento de restrição de fluxo sanguíneo
A maior inovação em termos fitness para 2018 promete grandes resultados no quesito aumento muscular, utilizando apenas de 10 a 20% do peso que normalmente se usaria.

Como isso é possível?
Restringindo o fluxo sanguíneo. 

O treinamento de restrição de fluxo sanguíneo (BFR – Blod flow restriction) usa pulseiras ou cintas peitorais especiais de monitoramento da pressão arterial para impedir o fluxo de sangue, privando a chegada de oxigênio a seus membros.

Uma vez que sua pressão sanguínea atinge níveis ideais, você realiza exercícios tradicionais de construção muscular, mas usa pesos menores para tal.

Um estudo no Journal of Applied Physiology descobriu que o treinamento BFR aumenta os músculos ao usar cargas tão leves quanto 20% de seu 1RM (One rep maximum – a quantidade máxima de força que pode ser gerada em uma contração muscular).

pesquisa sugere que restringir o fluxo sanguíneo reduz o oxigênio que seus músculos podem acessar durante o exercício.

Sem oxigênio, seus músculos entram em estresse metabólico.

Você não precisa de pesos pesados para estimular o seu crescimento quando estão nesta fase de oxigênio baixo. Antes de ir à academia com uma pulseira ou cinta, o Dr. William P. Kelley e a USA Sports Therapy, aconselha que você consulte um profissional devidamente capacitado para realizar o BFR corretamente.

"Você só deve fazer o treinamento BFR com um profissional certificado no treinamento BFR ", disse Kelley.

O que poderia acontecer se você tentasse fazer o treinamento BFR por conta própria?

A atividade "pode causar danos aos nervos ou vasos sanguíneos se for feita incorretamente, sem treinamento e supervisão adequados ou com equipamentos inferiores", disse Kelley.

4- Teleterapia
Aplicativos de smartphones estão apresentando inúmeras inovações no cenário da psicoterapia, mas é outra tecnologia que pode realmente fazer a diferença na área da saúde mental.

“A teleterapia, ou a realização de sessões terapêuticas por meio da interação com vídeo, é provavelmente o mais importante desenvolvimento tecnológico para a saúde mental dos últimos tempos", disse o Dr. Ken Duckworth diretor médico da National Alliance on Mental Illness.

Em quase todos os sentidos, pode-se dizer que a teleterapia é a mesma que a terapia tradicional. O indivíduo ainda se encontra face a face com um psicólogo, e os dois interagem como de costume. Mas ao invés de um sofá ou poltrona, o contato é feito por meio de um serviço de videoconferência.

O benefício desta experiência baseada na web é que nenhuma das partes precisa se deslocar de um lugar a outro, sendo possível participar de uma seção de terapia com maior praticidade e comodidade.

E não para por aí, confira outros avanços tecnológicos.

5- Medicamentos de precisão para tratamento de câncer
Em 2018, um grande número de pessoas serão diagnosticadas com câncer. E cada uma delas contará com mais e melhores ferramentas para combater as células cancerosas.

Uma dessas ferramentas é a medicina de precisão, segundo o Dr. Otis Brawley, MACP, diretor médico-chefe e oficial científico da American Cancer Society.

A medicina de precisão é uma abordagem para o tratamento contra o câncer que permite aos médicos selecionar medicamentos com base na composição genética e individualizada de um câncer.

Em outras palavras, um médico não irá tratar apenas um câncer de pulmão, os profissionais poderão tratar o tipo de câncer de pulmão específico que ataca o indivíduo, até os genes e proteínas anormais específicos.

Os pesquisadores afirmam que esses medicamentos não representam a cura definitiva do câncer, mas certamente farão a diferença na assertividade de pesquisas futuras.

6- Pâncreas artificial
Todos os anos, as empresas especializadas em tecnologia médica investem pesado para melhorar a vida de pacientes com diabetes, tentando acabar, por exemplo, com o ciclo interminável de verificação e monitoramento dos níveis de glicose.

Todo esse investimento parece estar finalmente atingindo ótimos resultados, através da criação de pâncreas artificiais, também conhecidos como sistemas automatizados de entrega de insulina.

Esses sistemas trabalham como as bombas de insulina tradicionais e foram projetados para automatizar o manejo do açúcar no sangue, monitorando os níveis de glicose de forma contínua e fornecendo insulina, podendo estabilizar os níveis de açúcar no sangue conforme a necessidade do paciente. O controle do pâncreas artificial pode ser feito a partir da sincronização a um smartphone.

7- Medicamentos de precisão para artrite reumatoide
Em 2018, o tratamento para a artrite reumatoide (AR) também passará por melhorias. A AR é uma doença autoimune comum. Destrói a cartilagem nas articulações, e causa vários outros danos a mesma, além de poder levar o indivíduo à incapacidade motora. Casos extremos de AR podem vir a danificar órgãos internos e provocar inflamações vasculares, resultando até em mortes prematuras.

Em 2016, pesquisadores da universidade de Yale identificaram um mecanismo genético que pode aumentar os riscos de um indivíduo em relação à artrite reumatoide. Nesse estudo, os cientistas escreveram que o uso da medicina de precisão poderia ajudar a atingir esse gene e elimina-lo.

Assim como os medicamentos de precisão para o câncer, os medicamentos de precisão para a AR são projetados para atacar genes ou áreas vulneráveis da célula. Isso pode enfraquecer a doença, melhorar os sintomas e, possivelmente, ajudar a reduzir danos às articulações.

Se você gostou dessa matéria. Compartilhe esse link com seus amigos.

Tradutor e redator: Gabriel Pinho
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor Geral: Geraldo Majella
Fonte: Healthline

  • Gostou? Compartilhe: